O nascimento

Por Cibele Neis


\”A união começa na concepção, mas não se completa senão no momento do nascimento…\” L.E. 344


Quando o Espírito deve encarnar num corpo humano em via de formação, um laço fluídico, que não é senão uma expansão do seu perispírito, o prende ao germe para o qual sente-se atraído, por uma força irresistível, desde o momento da concepção.\” GE cap XI, 18


Nenhum espírito chegará ao processo reencarnatório sem uma atração específica com a sua futura mãe, baseada em ligações onde inúmeros fatores entrarão em jogo.


Ao tratarmos de assuntos científicos lembramos, antes de mais nada, que a Doutrina Espírita alberga em seu seio as raízes da Ciência e as conquistas que a mesma realiza. Com o conhecimento que possuímos sobre reencarnação e imortalidade, os horizontes dessa mesma Ciência se ampliam e clarificam.


O encontro das células genésicas, dum lado o espermatozóide, do outro o óvulo, obedecem um roteiro tão ordenado que nos faz pensar num campo influenciador e orientador desse mecanismo. Allan Kardec teve a feliz idéia de criar o termo perispírito para a designação de tal campo.


Cada uma destas células (óvulo e espermatozóide), possui o número de cromossomos pela metade, porquanto a sua união restabelece o número de 46 que caracteriza a espécie humana. O espermatozóide possui um cromossomo dentre os 23, denominado cromossomo sexual e apresenta duas variedades: X e Y. O óvulo também possui um cromossomo sexual, entretanto, ele se apresenta com uma única característica: X. Se a combinação da célula genésica feminina (X), for com o espermatozóide Y, o produto dessa junção será um ser masculino (Y + X); se com a variedade X, será feminino (X + X).


No processo fecundativo, uma quantidade imensa de espermatozóides é lançada nas vias femininas, cerca de 200 milhões por cada ejaculação e somente um fecundará o óvulo, surgindo daí a célula ovo. O espírito reencarnante estará influenciando, com as suas vibrações, o processo de fecundação e, com isso, a escolha do espermatozóide que penetrará o óvulo.


Milhares de espermatozóides encontram-se em volta da célula feminina fecundada que não podem invadi-la porque a essas alturas, já uma substância especial tomou o contorno do ovo, impedindo que outro espermatozóide o irrompa. As células emitem irradiações e os espermatozóides, como células independentes e dotadas de movimento são, portanto, mais credenciadas ainda de possuírem intensas cargas de energias. Os espermatozóides à volta, na medida em que vão morrendo e sendo absorvidos pelo organismo feminino, deixam um campo de energias que formam uma coroa, que num primeiro momento serve para proteger, vibratoriamente o ovo, e num segundo continua a sua função na formação de um outro campo: o duplo etérico.


Os pais nos proporcionam o corpo e deles herdamos caracteres físicos, mas, vamos anotar também que estudos bem recentes nas fitas cromossômicas, além dos genes, apresentam pequenos pontos denominados micro-satélites, aparentemente sem função, que nos leva a crer, estamos diante de um código de herança de caracteres espirituais.


Miniaturização do Perispírito


De modo geral, o candidato a reencarnação se apresenta mais ou menos com o aspecto da última etapa terrena. O mergulho na carne permite que os campos perispirituais sofram um processo de redução.


Parte das energias perispirituais são cedidas à natureza, como na morte do corpo físico, por ocasião do desencarne.


O espírito perde a consciência.


Embriões congelados


\”Alguns há, efetivamente a cujos corpos nunca nenhum Espírito esteve destinado\” L.E. 356


Missionários da Luz:\”depois que o espermatozóide de Adelino e o óvulo de Raquel uniram-se, formando o zigoto, Alexandre, o Instrutor Espiritual, \”ajustou a forma reduzida de Segismundo (o reencarnante), que se interpenetrava com o organismo perispirítico da Raquel (a mãe), sobre aquele microscópico globo de luz, impregnado de vida, e observei que essa vida latente começou a movimentar-se\”. Na concepção, portanto temos o início da nova existência.\”


Entre a Terra e o Céu: \”… toda agregação de matéria obedece a impulsos do espírito…\” Sem o reencarnante portanto, não há vida organizada, formação fetal válida.\”


Quanto aos embriões congelados podem ou não ter laços perispiríticos (fluídicos) ligados a eles.


Aborto: causas Involuntárias e causas Voluntárias. As repetições no processo vão propriciando as devidas retificações.


Estupro


A mulher que consegue amparar o espírito reencarnante, mesmo nos casos de estupro, deixando que a criança nasça, afrontando todas as condições existentes, representa a maior das doações que podem ser oferecidas à Vida.


Conclusão

Mayana Zatz é professora de Genética Humana e Médica do Departamento de Biologia, Instituto de Biociências da Universidade São Paulo, coordenadora do Centro de Estudos do Genoma Humano – IB -, presidente da Associação Brasileira de Distrofia Muscular e membro da Academia Brasileira de Ciências. Ela diz:


\”…O corpo humano, porém, guarda um mistério que ainda não foi decifrado. Como se sabe, depois da fecundação, a célula se divide em duas, de duas em quatro, de quatro em oito e assim sucessivamente até atingir a fase de algumas centenas de células com o poder de diferenciar-se em qualquer tecido. No entanto, em determinado momento, elas recebem uma ordem e umas se diferenciam em fígado, outras em ossos, sangue ou músculo, por exemplo. Daí em diante, todas as suas descendentes, de acordo com essa mesma ordem, continuarão diferenciadas: a célula do fígado só vai dar origem a células do fígado; a do sangue, só a células do sangue. Não descobrimos, ainda, como funciona essa ordem que a célula recebe para diferenciar-se nos diferentes tecidos….\”


09.2004


Continue no Canal
+ Doutrinas Públicas