Lei Divina ou natural

Por Cibele Neis

Destacamos os apontamentos e as notas para estudo, comentados na palestra Leia Divina ou Natural, que rege fenômenos da matéria, como também do espírito.


\”Entre as leis divinas, umas regulam o movimento e as relações com a matéria bruta: as leis físicas, cujo estudo pertence ao domínio da Ciência. As outras dizem respeito especialmente ao homem considerado em si mesmo e nas suas relações com Deus e com seus semelhantes. Contém as regras da vida do corpo, bem como as da vida da alma: são as leis morais.\”


Comentário de Kardec à questão 617 do Livro dos Espíritos


Kardec apresenta o Espiritismo:


O Espiritismo é a ciência nova que vem revelar aos homens, por meio de provas irrecusáveis, a existência e natureza do mundo espiritual e as suas relações com o mundo corpóreo.


EE cap I, ítem 5


Onde está escrita a leis de Deus?


Na consciência


LE 621


 … em cada nova existência, sua inteligência se acha mais desenvolvida e ele compreender melhor o que é bem e o que é mal.


Comentário de Kardec à questão 619 LE


 (…) O homem chegou a uma fase em que as ciências, as artes e as indústrias atingiram um alcance até hoje desconhecido. Se a satisfação que delas tira satisfaz a vida material, deixa um vazio na alma: ele aspira qualquer coisa de superior, sonha com melhores instituições, deseja a vida, a felicidade, a igualdade, a justiça para todos. Mas, como atingir tudo isso com os vícios da sociedade e, sobretudo, com o egoísmo imperando? O homem sente, pois, a necessidade do bem para ser feliz; compreende que só o reino do bem pode lhe dar a felicidade pela qual aspira.


Viagem Espírita 1862
Discurso para espíritas de Lyon e Bordeaux
Jornal Mundo Espírita ago 2005 


... não há muitas espécies de homens, há tão somente homens, cujos espíritos estão mais ou menos atrasados, porém todos suscetíveis de progredir…


LE cap V – Pluralidade das Existências


… ninguém escapa à lei do progresso, que cada um será recompensado segundo o seu merecimento real e que ninguém fica excluído da felicidade suprema a que todos podem aspirar, quaisquer que sejam os obstáculos com que topem no caminho.


LE – cap V – Pluralidade das Existências


O progresso da Humanidade tem seu princípio na aplicação da lei de justiça, de amor e de caridade.


LE conclusão IV


O homem quer ser feliz e é natural esse desejo. Ora, buscando progredir, o que ele procura é aumentar a soma da sua felicidade, sem o que o progresso careceria de objeto. Quando porém, conseguir a soma de gozos que o progresso intelectual lhe pode proporcionar, verificará que não está completa a sua felicidade. Reconhecerá ser esta impossível, sem a segurança nas relações sociais, segurança que somente no progresso moral lhe será dado achar.


LE conclusão IV


Por meio do Espiritismo, a Humanidade tem que entrar numa nova fase, a do progresso moral que lhe é conseqüência inevitável


LE conclusão V


Falsa a idéia faria do Espiritismo quem julgasse que a sua força lhe vem da prática das manifestações materiais… sua força está na sua filosofia, no apelo que dirige à razão, ao bom-senso.


LE conclusão VI


Só vamos conseguir aproveitar tudo isso se possuirmos:


CONHECIMENTO ESPÍRITA


Temos que dignificar a nossa condição de espíritas, levando-o a sério e procurando, na medida do possível, fazer esforços para cultivar o Espiritismo do ponto de vista intelectual e aplicá-lo em nossa vivência.


A importância da prática espírita no seio do movimento espírita e nas atividades cotidianas com as pessoas de nossa convivência, para que façamos jus ao patrimônio intelectual apresentado pelo Espiritismo.


É o estudo de natureza espiritual do ser humano que mostra quais são as leis que regulam as relações dos Espíritos uns com os outros. Estas leis deixam de ser artigos de dogmas, fruto de tradição ou ensino, para se tornarem leis naturais. Enquanto Ciência, o Espiritismo mostra que estas leis nada mais são do que a moral cristã. A diferença é a forma pela qual esta moral é fundamentada, por uma abordagem neutra, racionalmente estabelecida.


Abaixo três argumentos para persuadi-los a estudar a Doutrina Espírita. O objetivo não é convencer alguém a matricular-se nos grupos de estudos, entretanto, isso é deveras importante para que travemos contato com os princípios do Espiritismo, principalmente para os que conhecem pouco ou nada acerca da Doutrina.


Motivação ao estudo doutrinário
 



  1. O estudo proporciona a pura alegria do conhecimento, com um campo imenso de investigação, uma nova área com material para estudar por muito tempo;
     

  2. Oferece consolação e esperança remetendo à nossa natureza espiritual e divina, compreensão dos processos patológicos, obsessivos e depressivos, entendendo que passe, atendimento fraterno, água fluidificada, auxilia, ameniza, mas não retira esses que são para nós incômodos, mas necessidades de restauração.. Principalmente compreensão dos porquês destas situações, encorajando o indivíduo a modificar-se: esse sim o caminho das curas.
     

  3. Favorece o progresso moral, pela identificação das verdadeiras leis morais.

Ética  – progresso moral – lei natural


A evolução moral e intelectual envolve uma estrutura de sentimentos e hábitos. É preciso fazer esforços para descobrir as verdadeiras leis morais e depois se harmonizar a ela, para o próprio bem e felicidade.


Fazendo compreensíveis o bem e o mal, o Espiritismo beneficia a todos, incitando o uso do livre-arbítrio consciente.


Só a razão é capaz de fazer a nossa mudança junto com a vontade. Não podemos apenas nos entregar ao sentir. Para ativar a perfeição é preciso se renovar o tempo inteiro, no intelecto, no sentimento e na vontade. Isso exige que façamos bom uso de todos os instrumentos que o conhecimento apresenta, que é a grande ferramenta para este processo de mudança. Quem abre mão do conhecimento, está perdendo uma grande chance de mudar.


As leis morais foram escritas para os encarnados. E no campo moral o homem é absolutamente livre. Compete a ele desenvolver as virtudes e frear os vícios (auto-conhecimento).


“Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, este é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Estes dois mandamentos contêm toda a lei e os profetas.”


A LEI DIVINA OU NATURAL explica o que são as leis morais  e estabelece os deveres do homem para com Deus, para consigo e para com o próximo.


Da lei de adoração }           AMAR A


Da lei do trabalho   }            DEUS


Da lei de reprodução    }


Da lei de conservação  }  AMAR  A SI


Da lei de destruição      }


Da lei de sociedade }


Da lei do progresso }    AMAR AO


Da lei de igualdade  }    PRÓXIMO


Da lei de liberdade   }


Da lei de justiça, de amor e de caridade   }  RESUME TODAS AS LEIS


08.2005


Continue no Canal
+ Doutrinas Públicas