Pensar em Deus reduz a ansiedade

31/08/2005 – 16h42m

Um estudo publicado nesta quarta-feira na revista britânica "New Scientist" "descobre" o que o espiritismo comprova há mais de cem anos: pensar em Deus é uma solução para problemas de ansiedade e dor. Confira a notícia distribuída pelas agências internacionais.

LONDRES – Pensar em Deus parece ser uma solução milagrosa para problemas de ansiedade e dor, segundo estudo publicado nesta quarta-feira na revista britânica "New Scientist".

A pesquisa, feita por cientistas da Bowling Green State University, em Ohio, nos EUA, mostrou que a meditação espiritual ajuda a relaxar e faz com que as pessoas consigam suportar melhor as dores.

Os pesquisadores chegaram a estas conclusões após uma experiência com voluntários que foram divididos em três grupos de meditação.

No primeiro grupo, o "espiritual", os participantes tiveram que se concentrar e repetir frases como "Deus é amor" e "Deus é paz". Ao segundo grupo, o "secular", os pesquisadores pediram para os integrantes repetirem expressões como "sou feliz" e "estou contente", enquanto os participantes do terceiro grupo deveriam apenas relaxar.

Os três grupos realizaram a tarefa pedida durante 20 minutos por dia, ao longo de duas semanas. Nesse período, os pesquisadores usaram técnicas psicológicas para avaliar o estado de ânimo das pessoas. Além disso, mediam a resistência à dor verificando por quanto tempo os voluntários conseguiam manter as mãos imersas em água a dois graus Celsius de temperatura.

No fim da experiência, o grupo "espiritual" mostrou uma maior redução no nível de ansiedade que os outros dois. Os integrantes desse grupo também agüentaram deixar as mãos na água gelada por um tempo duas vezes maior que os outros participantes.

A professora que liderou a pesquisa, Amy Wachholtz, explicou que, ao pensar em Deus, os voluntários do grupo "espiritual" alcançaram um estado mais profundo do que o mero relaxamento.

– É possível que exista algo único e inerente à prática da meditação religiosa que não se pode conseguir através de outro tipo de meditação ou do relaxamento – afirmou.

Fonte: EFE

{{texto::pagina=1002}}


Continue no Canal
+ Os caminhos da ciência