Preconceito com senso de “humor”

\"\"Manoel Fernandes Neto

\"\"

Dissemina-se pela Internet uma imagem que flerta com o preconceito, mais uma vez contra pessoas de baixa renda. Nela existe uma comparação zombeteira dos adesivos comumente utilizados em carro, que mostram a família da pessoa.

Comparam-se Ricos e Pobres. No Carro do Rico, é uma família pequena, com as pessoas felizes. No “Chevette” dos chamados “pobres”, uma série de adjetivos pejorativos é colocada. O pai é alcoólatra, a irmã é prostituta, o filho fuma, a filha tem vários filhos e é mãe solteira, e por aí vai a mensagem.

É evidente o preconceito, certamente criado por uma mente doentia, colocado como "humor", para que quem criticar a imagem seja taxado de “sem senso de humor”. 

Recentemente, um apresentador da RBS foi despedido por condenar em um de seus comentários que pessoas de baixa renda possuíssem carro. Lugar comum: piadas de negros, homossexuais e outras minorias são tristemente ainda disseminadas em famílias e empresas de “respeito”. "É só humor", explicam cristãos e agnósticos.

Como construir dessa forma um mundo melhor? Se ainda resiste o velho chavão de que “quem tem mais dinheiro” está livre dos problemas do mundo? No fundo, essas mensagens têm o objetivo de diminuir a autoestima das pessoas. Um tipo de dominação psicológica não mais aceitável em época de disseminação do conhecimento. 

Cuidemos de nossa mente. Muitas pessoas disseminam em suas redes, achando que “não tem nada demais”. "Foi só uma "brincadeira". mas é mais revelador do que engraçado. Em 2004, uma campanha do Ibase alertou com o tema "Onde você guarda o seu racismo? – Não guarde, jogue fora", que também pode ser lido como "Onde você esconde seu preconceito?". E as redes sociais estão presentes para revelar esses segredos, até então íntimos.

Encarar sem medo nossas mazelas é caminho para o progresso, independentemente de credo ou de ideais.

Recebo com muita alegria mensagens da Dadi Gulzar, da organização da Bhrama Kumaris. Uma delas diz muito sobre a energia da mente – chama-se "Servir com a mente".

Como podemos diminuir a falta de paz e a tristeza que se espalhou no mundo? Como ajudar nossos irmãos e irmãs universais? A resposta é: servindo através da mente. Uma mente com bons pensamentos produz uma boa vibração que, por sua vez, cria um grande impacto positivo nas almas, mesmo à distância. As pessoas que recebem essas vibrações sentem como se fosse um banho de amor, paz, felicidade, poder e destemor. E as pessoas que doam boas vibrações também são beneficiadas, porque a mente delas está sempre ocupada em servir. Não há desperdício de pensamentos.

Lição recebida, coloquemos em prática.

Assista os spots em vídeo da campanha do Ibase. Mais atual que nunca.

{{texto::pagina=757}}

 

{{texto::pagina=1009}}


Continue no Canal
+ Manoel Fernandes Neto