Profissionais e Profissionalismo

Por Rose Mary Grebe

Vocação e profissão
Valorização social das profissões
Ética profissional

O trabalho é a atividade humana por excelência, pela qual o homem melhora a natureza e a si mesmo. Pelo trabalho o homem transforma esta natureza, distinguindo-se dos animais, que não trabalham no sentido de usar a razão, pois que usam o seu instinto. (animais um pouco mais evoluídos na escala zoológica usam ferramentas, mas não existe o pensamento contínuo, nem a premeditação para executar)

O homem tem o pensamento que vem antes de executar a atividade, portanto é intencional.

Pelo trabalho o ser humano desenvolve suas habilidades físicas, a imaginação, aprende a conhecer as forças da natureza e a desafiá-las, aprende a conhecer suas próprias forças e limitações, relaciona-se com os companheiros, impõe-se uma disciplina. O trabalho é uma das leis naturais ou Divinas. 

Quando nos deparamos com a situação de ter que optar por uma profissão ou nossos filhos que estão nesta condição, muitas preocupações nos tiram o sono:

– O que vamos ser quando crescermos? 

– O que nossos filhos serão?

– Nesses momentos, via de regra, o nosso primeiro pensamento é o salário. Será que tal profissão será rentável? Vou ter, logo, um retorno de tudo que investi? 

Depois nos questionamos se esta profissão nos realizará, nos deixará gratificados.

Em muitas situações acabamos por remover de nosso filho a idéia de uma determinada profissão, que ele pense em seguir, pois o salário não é bom, não dá status, entre outras justificativas materiais.

Precisamos nos dar conta que a nossa profissão ou de nossos filhos já foi programada antes da reencarnação, e vem ajustada às nossas necessidades de Espíritos que somos.

Livro dos Espíritos, Questão 928Pela especialidade das aptidões naturais, Deus indica evidentemente nossa vocação neste mundo. Muitos dos males não decorrem do fato de não seguirmos a nossa vocação?

É verdade, e, freqüentemente, são os pais que, por orgulho ou avareza, fazem seus filhos saírem do caminho traçado pela Natureza e, por esse deslocamento, comprometem sua felicidade; eles disso serão responsáveis. 

A respeito de vocação, Emmanuel nos esclarece que: "A vocação é um impulso natural oriundo da repetição de análogas experiências, através das muitas vidas." (O Consolador, questão 50)

Os Espíritos, na questão 804, Livro dos Espíritos, nos dizem que "Deus criou a todos os homens iguais, mas cada um deles tem maior ou menor vivência, por conseguinte, maior ou menor experiência. A diferença está em que, usando o livre arbítrio, uns aperfeiçoam mais rápido que outros e vivem mais experiências."

Normalmente percebemos algumas tendências, observamos que muitas vezes um filho tem jeito para fazer determinadas coisas e outro filho para outras. Essas tendências não são hereditárias, daí o grande perigo de se dizer vai ser isto ou aquilo, como o pai. Até pode acontecer que Espíritos com as mesmas tendências ou afinidades reencarnem como pai e filho.

Assim, o Espírito, ao reencarnar situa-se em atividades compatíveis com seu grau de evolução, observada a lei do merecimento, que limita nossa inteligência e força sempre que dela tenhamos feito um mau uso.

"Os elementos que delinqüem, enquanto afirmam trabalhar, os que lucram no mundo com prejuízos para terceiros, não podem supor o quanto será difícil resgatar e devolver, redimindo a própria consciência, a fim de alcançarem a Grande Luz, por meio de uma harmonizada realização." 
(Esp. Camilo, psicografia de Raul Teixeira, no livro Educação & Vivências)

No mundo a profissão deverá cumprir uma dupla finalidade: ser uma peça útil na estrutura social e atender às necessidades materiais de sustento.

O primeiro item nos coloca na condição de participantes da obra de Deus, que nos permite a evolução neste planeta, porque é nele que merecemos estar, contribuindo através das mais diversas profissões para o progresso. Este progresso se faz com o agricultor, o varredor, pedreiro, cientista, médico, advogado, professor, e tantas outras profissões, inclusive todas as mais recentes. Todas se interdependem, e têm a mesma importância. Nós, pelo nosso atraso moral, é que ainda as classificamos. 

O segundo item se refere ao nosso sustento. É claro que poucas pessoas têm a condição de ser voluntários sem se preocupar com o ganho. Faz parte da nossa condição humana trabalharmos para nos sustentar. O grande problema é quando só visamos o ganho, o material. Acaba sendo algo quimérico, não nos traz satisfação interior, nem crescimento emocional. Acaba sendo aquela carreira que provoca úlceras e gastrites, grande desconforto de sempre achar que nos falta algo, procura desenfreada de satisfações através das sensações. Enfim uma eterna busca de realização que nunca acontece. Este é o ônus pago por nós mesmos quando não seguimos a voz do nosso coração.

"Amadurece-te, hoje, a fim de não sofreres mais tarde o golpe frustrante de estar em atividade errada."
(Raul Teixeira, Esp. Ivan de Albuquerque, Livro "Cântico da Juventude")

Se a nossa vocação profissional já foi programada e é de acordo com o que precisamos experenciar, é muito natural, e isto vemos sempre, encontrarmos pessoas felizes e realizadas nas profissões que consideramos as mais humildes como naquelas mais elitizadas.

Em tempos remotos o trabalho manual era mal visto pelas pessoas nobres e intelectualizadas. Ele era realizado pelos escravos. A evolução faz com que nossos conceitos mudem e, hoje temos uma conotação diferente, graças a Deus, para o trabalho.

Trabalho: ocupação física ou mental, remunerada ou não, que vise o bem comum.

Dentro deste conceito de trabalho, as profissões vão exigindo mais das pessoas. Cada vez mais precisamos estar preparados, sem perder de vista alguns valores que precisam ser colocados nas nossas crianças, desde pequenas.

COMPETÊNCIA: Segundo estudos mais recentes, a competência é sempre nos sentirmos no limiar da incompetência, transformando este desconforto íntimo em energia intelectual para novos avanços. É o estar atualizado. Não ficar parado no tempo.

USO DA MÁQUINA: O profissional do terceiro milênio precisa estar aberto às inovações tecnológicas que estão surgindo a cada dia. 
APRENDENDIZADO CONTÍNUO: Pobre daquele que pensa que acabou um curso e não precisa mais estudar. Conhecimento se adquire durante a vida toda e não por uma etapa.

LIDERANÇA: Ter a maturidade para exercer comando. Não significa mandar e derrubar os que estejam no seu caminho ou ser um déspota. Isto não é liderança.

ADAPTAÇÃO: Ter a capacidade de adaptar- se às novas situações. 
GRUPO: Ser capaz de trabalhar em cooperação.

CRIATIVIDADE: Na atualidade, a criatividade é um grande requisito. Sair-se-á bem, profissionalmente quem tiver um diferencial.

ESTABILIDADE EMOCIONAL: Pessoas equilibradas conseguem resolver conflitos e problemas com mais facilidade.

ÉTICA: No nosso estágio evolutivo já estamos nos preocupando com alguns valores morais, onde já está valendo a pena sermos verdadeiros, honestos, não imaginando que o levar vantagem em tudo é que dá certo. 

FLEXIBILIDADE: Temos que ter a capacidade de entender que nem sempre a nossa idéia é a melhor, que nem sempre estamos certos, que hoje podemos estar em um setor, amanhã em outro.

Do livro "Para uso diário", de Raul Teixeira, pelo Esp. Joanes:

Na sua atividade profissional diária, quando você se põe a servir a vida com os recursos de que dispõe , a fim de que tudo se desenvolva ao seu derredor, procure cientificar-se das suas obrigações.

Pense no trabalho, desde o mais simples ao mais complexo, desde os esforços braçais mais inexpressivos aos olhos comuns até as realizações mais grandiosas no campo intelectual, e faça tudo da melhor forma, faça tudo com boa vontade.

Faça do melhor modo o seu trabalho. Esteja certo de que, se trabalha mal, se empresta má vontade àquilo que faz, embora possa causar transtorno aos outros, a si mesmo é que estará prejudicando.

Ainda quando você não receba as considerações e reconhecimentos como gostaria, na Terra, pense na oportunidade que lhe está oferecendo o Pai da criação. Ao seu tempo tudo melhorará.

Não se perca, evitando perturbar-se em sua atividade profissional. Antes, aprimore-se. Faça tudo com carinho e rigor para que a sua estada no mundo seja de muito proveito para o seu grande futuro.

08.2004

{{texto::pagina=1009}}


Continue no Canal
+ Rose Mary Grebe