Reflexões sobre o sucesso

Marcelo Henrique

Em geral, todos buscam o sucesso. Isto em diversificados cenários ou áreas da vida. Mas será que todos têm sucesso sempre e em tudo?

Por outro lado, cada um de nós está plenamente ciente (penso eu) do que acontece na NOSSA vida. Mas em relação à vida dos outros? Aquele conhecido adágio de que o cachorro do vizinho é mais parceiro e belo ou que o jardim da casa do lado é mais florido ou a grama é mais verde demonstram bem isso.

Só quem está naquele cenário e colhe, dele, os frutos, pode falar da semeadura, das dificuldades do cotidiano e das razões que levam a determinados resultados.

Então, o que é sucesso pra você?

É ter um emprego estável? É estar satisfeito com o que faz? É trabalhar no que gosta e do jeito que entende seja o mais produtivo e adequado?

É ter uma família unida? Olhar para os filhos e ver, neles, os valores que você também possui, lapidados na frequência e na sequência dos anos de educação e orientação? Ter um companheiro ou companheira que “pegue junto”, que seja o amparo para as horas difíceis, reciprocamente, e que comemore os (pequenos) bons momentos da existência?

É ter uma quantidade de dinheiro para fazer uma viagem, comprar um presente mais caro, fazer uma surpresa a quem você ama? Ou, apenas, para provocar inveja nos vizinhos, nos amigos, nos parentes, por ter “mais” do que eles (naquele momento)?

É ter poder sobre uma quantidade relativa de pessoas, em qualquer ambiente (familiar, social, comunitário, esportivo, de lazer, de trabalho) e ser considerado alguém que “é” mais?

É ter alguns itens de luxo, como o carro do ano, o celular com maior tecnologia, a TV ou o computador com processadores de alta performance, roupas ou sapatos de grife, um relógio ou um brinco que atrai todos os olhares?

É ter fama, em razão das posições mundanas que se ocupa, nas atividades políticas, sociais, empresariais, estudantis, associativas?

Será que é como está nos filmes ou novelas, aquele personagem que pode tomar um champanhe importado, a qualquer hora do dia?

O que dizer do sucesso, então?

De fato, a visão de sucesso construída pela sociedade parte das “imagens” que a mídia nos apresenta, todos os dias é marcante e influente. Isto, seja nos elementos publicitários (que não são mais, apenas, os televisivos, já que na palma da mão, em qualquer programa, aplicativo ou site, os anúncios “rodam sozinhos” e interrompem aquilo que desejamos acessar ou assistir), sem falar de outros instrumentos dispostos no trajeto casa-trabalho-casa) pra nós.

 

Mas, é de se perguntar: – é este o “sucesso” que você busca?

Vale dizer que muitas pessoas que “têm” esse “sucesso” acabam sendo muito infelizes. Não têm tempo livre, não podem se dedicar às atividades mais simples do viver. Não conseguem sair sozinhas numa caminhada pelo bairro ou pelo centro da cidade. São (mais ou menos) celebridades e famosas, à espreita de fotógrafos ou paparazzi, porque a intimidade interessa à “opinião pública”. Ou precisam andar com seguranças, porque podem ser assaltados ou sequestrados. E não só eles, como seus familiares. Vivem, portanto, uma situação de prisão e insegurança, permanentes.

Mas há os que, diante disso e das minhas afirmações, podem rebater: – Ah, isso é o que você diz! Eu gostaria de “experimentar”. Comigo seria diferente!

Pois é… Nem todas as verdades são para todos os ouvidos, já teria dito o Mestre, num fim de tarde com pôr-do-sol espetacular, e uma grande assistência popular à sua pregação…

Uma questão relativa ao sucesso – que não quer dizer dinheiro sem fim e reconhecimento público sem contestação – tem a ver, diretamente, com a satisfação pessoal. Até aí, nenhuma novidade. Mas, ao projetar tal satisfação, nós precisamos estar com os dois “pés no chão”, ou seja, termos a exata noção do que SOMOS e do que PODEMOS FAZER. Sucesso, assim, é algo que está diretamente associado às competências, habilidades e capacidades individuais. Algumas derivadas do conhecimento, outras da experiência.

 

Por vezes, então, parece que estamos desperdiçando tempo e energia com desejos, necessidades, objetos, situações que não são adequadas em relação ao que temos condições de fazer. Ou, então, nos concentramos em habilidades já desenvolvidas, ao longo do tempo, quando poderíamos estar investindo em novas possibilidades e desafios.

Sucesso, então, não é privilégio ou benesse para poucos ou para os “escolhidos”. Cada um de nós pode buscar e alcançar o sucesso em nossas vidas. Isto porque o sucesso não é aquela condição de perplexidade, inatividade ou conforto (de quem chegou ao ponto máximo ou ápice de uma trajetória). Isto não existe, porque o próprio Universo está em movimento e é uma gangorra ou uma roda-gigante, em que as posições se alternam, inclusive, sem a interferência nossa. O mundo inteiro é uma engrenagem e cada um de nós somos peças que podem ser úteis em dado momento e tornarem-se obsoletas em outras.

Só um pequeno exemplo: quais eram as profissões e carreiras de sucesso há trinta anos atrás? Muito tempo? Certo… Então, quais eram as atividades mais lucrativas há cinco anos? Ou, então, quem “ganhava” muito dinheiro antes da pandemia e, agora, está “quebrado”? Percebeu o dinamismo do “sucesso”?

Sendo ainda mais pontuais em relação às novas dinâmicas da atualidade, em que as redes sociais são os ambientes de relacionamentos, de negócios, de entretenimento e de comunicação, como é a nossa noção de “sucesso” em relação a tais redes? É ter quantos “K” de seguidores? Pessoas curtindo, compartilhando ou reproduzindo tudo o que você diz? Minha esposa costuma dizer que ser “famoso” no Facebook é igual a ser “rico” naqueles jogos de tabuleiro, o Monopólio ou Banco Imobiliário. De que serve?

Por isso, o sucesso é sobre ser melhor, é sobre alcançar algo, a sua satisfação íntima, e a sua independência, seja dos contextos, das coisas materiais, do dinheiro, do emprego, da família, dos negócios, das “seguranças”, das manias, das zonas de conforto…

O sucesso pode estar em algo que pode ser grande ou pequeno, singular ou plural. Depende o ponto de vista. É sobre o que somos, o que sentimos, o que acalentamos intimamente… E não sobre o que os outros vão pensar de você, do que você seja ou de onde você esteja.

Sucesso é algo relacionado com a sua programação mental, sensorial, afetiva, psicológica e… espiritual, como o conjunto de todos estes fatores. Atingir o sucesso é algo, sim, que parte do ser (Espírito) e se alimenta das “energias” que o Espírito já possui, ou que pode buscar nos outros, nos fatos, nas situações, nos contextos…

 

Sucesso, então, não é uma realidade “para poucos”, mas algo que está ao alcance de cada ser vivente. E está diretamente relacionado à mudança das atitudes mentais. Não é preciso nenhum talento extraordinário ou qualidades especiais de seres mais evoluídos. A matéria-prima todos os que estão na vida física possuem, que é a determinação e o entusiasmo que fazem o indivíduo superar-se a cada passo.

Se você esperava, ao final deste artigo, ter uma resposta como fosse uma bula, um mapa, um roteiro para alcançar o sucesso, lamento te decepcionar. Isto não existe!

Você até pode – e deve – se inspirar em pessoas valorosas, que venceram suas limitações, que lutaram contra suas próprias imperfeições, que superaram dificuldades e “venceram”, alcançando o sucesso. Mas, lembre-se de que a vida, em si, não permite a substituição automática de pessoas e lugares. O cenário (espiritual) de cada um é fruto de seus méritos, suas buscas, seus desafios, suas batalhas.

Evidentemente que, aqui ou ali, as lições daqueles em que nos baseamos e admiramos podem nos mostrar alternativas e perspectivas. Mas as resoluções, as decisões, as atitudes são de nossa competência e responsabilidade. Sempre!

Talvez o que nós mais precisemos é de “outro olhar”, diferente daquele que “está” em nós, no cotidiano. E, aí, uma conversa franca com um terceiro, poderá ser decisiva no caminho de mudança da maneira como encaramos a vida e seus contornos. Fazer surgir uma mentalidade progressiva, entendendo cada um dos nossos passos. Onde o êxito e o acerto são companheiros inseparáveis do fracasso e do erro. Uns e outros como grandes e indissociáveis aliados do aprendizado.

Então, daqui a algum tempo, eu vou gostar de saber que você está dizendo a si mesmo: eu alcancei o sucesso!


Continue no Canal
+ Marcelo Henrique