Sabedoria e felicidade

Adenauer Novaes

A Vida nos coloca em situações que exigem não só que tomemos decisões, mas também que corramos riscos, quaisquer que sejam as escolhas feitas. Para conquistas maiores, os riscos também o serão e o deleite de igual proporção. Ninguém pense na felicidade como algo fácil de ser conseguido nem que não nos exija renúncias. Sempre devemos considerar que as coisas grandiosas nos exigirão espírito determinado e confiança em nossa capacidade de alcançá-las.

A vida nos impõe certas regras, as quais devemos conhecer para delas tirar proveito, visando a felicidade pessoal e coletiva. Saber quebrar tais regras é sinal de competência e sabedoria quando ocorre sem agredir ninguém, muito menos nós mesmos. Há momentos em que despendemos intensas energias na busca de determinadas coisas visando a própria felicidade. Quando não as alcançamos, devemos ter em mente que há lições importantes durante o processo que devem ser absorvidas, sob pena, se não as aprendemos, de não ter valido a pena. Muitas vezes, é também importante não alcançar o que queremos pois, além de não merecermos, poderia nos ser prejudicial à felicidade. É preciso sempre que, respeitemos as pessoas e com elas aprendamos a nos respeitar. A Vida, tanto quanto o ser humano, merece respeito por ter sido criada por Deus. Os seres humanos, por serem diferentes entre si, merecem ser respeitados em suas singularidades.

Uma amizade é muito preciosa para que a deixemos sucumbir por coisas menores. Saber manter e valorizar uma amizade, nos permite alcançar a felicidade com mais segurança. Cuide para que seu julgamento e seu senso rigoroso de justiça não acabe com o que é ou poderia ser uma grande amizade. A felicidade exige que nos responsabilizemos integralmente por todas as nossas ações. Sem isso, não poderemos avançar em nossa busca por nos conhecer e para realizar nosso destino.

Quando identificarmos uma atitude equivocada que tenha resultado em algo inadequado, devemos tomar a iniciativa de fazer o caminho de volta, isto é, reparando imediatamente o feito e assumindo as conseqüências resultantes.

Uma pessoa sábia, conhece as palavras e as utiliza de forma bem coerente e segura. Uma pessoa sábia e feliz, utiliza o silêncio nos momentos importantes, de forma a alcançar a felicidade. Saber silenciar, é tão, ou mais, importante do que falar bem. O silêncio pode ser a resposta mais adequada em certos momentos. Uma pessoa sábia, anda na sociedade envolvida com questões pessoais e coletivas. Uma pessoa sábia e feliz também faz a mesma coisa, porém, reserva um tempo para estar sozinho sem pensar no coletivo. Sabe que, é tão importante ficar só quanto estar com as pessoas.

É sabedoria estar preparado para mudanças sem permitir que elas sejam superficiais e alterem apenas sua forma de ser no mundo. Abra seu coração para mudanças em seu mundo interior, permitindo que valores superiores substituam antigos e arcaicos, que já não condizem com sua ética de vida. Sempre que você muda, o mundo muda com você.

Saiba viver sua juventude tanto quanto sua velhice. A felicidade, além de não ter idade, independe do corpo, sendo um atributo do espírito. Uma pessoa feliz não vive do passado, embora saiba revivê-lo com prazer e alegria. Considere que é uma honra viver num corpo desgastado pelas experiências da Vida.

Devemos aprender a conviver com o passado sem revolver velhas feridas que magoam as pessoas, mesmo quando elas próprias provoquem. Aprender a levantar questões passadas sem ferir as pessoas é uma arte que nos leva à felicidade.

Devemos aprender a disseminar o conhecimento que adquirimos. Quanto mais o fizermos, mais tempo permaneceremos nos corações das pessoas. É sabedoria compartilhar o que se sabe quando o conhecimento produz a felicidade. Não se deve esquecer que acostumamos as pessoas com nosso procedimento. Somos influenciadores diretos da forma como elas nos tratam e nos consideram. Saber cultivar um bom ambiente em casa, fomentando a paz e a harmonia, constitui-se num dos pilares da felicidade.

A felicidade também se alicerça no respeito à Terra e a tudo que a ela diretamente se relaciona. Intimidade e diálogo constante com os elementos da terra nos aproximam de Deus e da felicidade. Permanecer a vida toda no mesmo lugar em que se nasce nos auxilia a fortalecer vínculos, porém, de vez em quando, estar em outros locais, principalmente onde nunca se esteve, nos permite conhecer a vida além de nós mesmos para que nossa capacidade de julgamento se amplie. O mundo e nossa felicidade são muito maiores do que o lugar onde vivemos.

Devemos nos lembrar de que o amor real sempre deve ser maior do que aquele que nos atrai uns aos outros por força das necessidades naturais. Amar quem nos ama é fácil. Difícil é amar quem tem sentimentos contrários aos nossos. Ame mais do que lhe seja pedido e necessário fazê-lo.

Ser bem sucedido e feliz nem sempre depende de se conseguir coisas, mas, às vezes, exatamente por saber abrir mão delas. É preciso que aprendamos a nos desapegar de certas conquistas e a moderar nossa ambição. Se querer é poder, saber não querer é uma arte que também nos leva à felicidade. A felicidade é uma entrega e uma conquista. Uma conquista pessoal e intransferível. Uma entrega de si mesmo a Deus mantendo sua própria individualidade e autodeterminação.


Continue no Canal
+ Adenáuer Novaes