Sinais dos Tempos

Por Elizete Schazmann

Nunca houve tanto amor na face da Terra. Você acredita nisso?

Esta frase dita por Divaldo Pereira Franco nos causa estranheza quando todos os dias temos mais notícias de violência, corrupção, injustiça social… Não podemos negar que os tempos são turbulentos, características de qualquer transição; mas como escreveu Léon Denis, no livro Depois da Morte, "o homem caridoso faz o bem de forma oculta. É indiferente aos louvores humanos, e porque tem elevação de caráter, se desloca acima dos julgamentos de um mundo transitório e procura a justificação dos seus atos na vida que não acabará". Ou seja, a caridade faz menos barulho, aparece menos e esquecemos dela com mais facilidade por não estarmos realmente sintonizados com o que existe de bom de bom.

Que tempos são esses em que vivemos então? Os do apocalipse? Certamente não, pois é preciso lembrar que a própria bíblia em que João predisse o fim dos tempos, deixou claro que haverá um novo céu e uma nova Terra.

Os tempos não são de destruição, são de mudança da faixa vibratória do planeta que está deixando a categoria de provas e expiações para um planeta de regeneração. O grande problema é que ainda estamos mais sintonizados com as notícias que nos trazem tristeza e esquecemos de perceber os sinais de um novo tempo que se descortina e que é fundamental trabalharmos com toda nossa dedicação nesta empreitada.

Os progressos não acontecem apenas em pequena escala, mas em escala mundial, o bom senso e pesquisas sérias, com bases éticas, têm mostrado que há cada vez mais espaço para a prática do bem.

* Temos tecnologia para facilitar as nossas vidas;

* A ciência avançou em muitos pontos rumo à cura de doenças;

* A ecologia que há cerca de vinte anos era vista como coisa de desocupados, hoje é questão de Estado, disciplina em escolas;

* Hoje é muito mais fácil ser espírita, dificilmente alguém atravessa a rua quando sabe que um espírita anda na mesma calçada, o que se fazia há pouco tempo. Pelos contrário, somos respeitados por um grande número de pessoas que admiram o Espiritismo, embora sejam de outra religião;

* Se há bem pouco tempo a caridade era vista como futilidade, hoje existem inúmeras serviços de ajuda humanitária em todo o mundo, o chamado Terceiro Setor, ao lado do Primeiro Setor ( o Estado) e do Segundo Setor ( o Mercado) estão as Instituições Assistenciais e as Organizações Não Governamentais;

* Até o mundo comercial se rende às necessidade de solidariedade, compreendendo que fora da caridade não há saída Surgem cada vez mais empresas de responsabilidade social;

* A física quântica avança ruma ao até então inimaginável;

* Práticas milenares como acupuntura e meditação são recomendadas por muitos médicos;

* Na época de Kardec os materialistas tinham mais força, pois muitas de suas convicções ainda não haviam fracassado, hoje várias ideologias caem por terra e a descoberta do espírito pela ciência é um questão de pouco tempo.

São todos esses os frutos do progresso moral que Kardec nos fala que garantirão ao homem a felicidade na terra. São chegados, portanto, os tempos da renovação para o Amor e a Paz, eis a grande mudança que se há de operar! Amor como nos descreve Paulo, 1.ª Epístola aos Coríntios "paciente benigno, nunca se ensoberbece, nunca se alegra com a injustiça, mas se regozija com a verdade".

Um exemplo recente de um Amor tão grande que brilhou em meio à mais perversa guerra da atualidade, a do Iraque, é o de Margaret Hassan. Ela coordenava as ações da Organização Humanitária Care, no Iraque. Nem mesmo as bombas, os ataques aéreos e por terra fizeram com que ela desistisse de seu ideal de ajudar ao próximo. Através da sua coragem, tenacidade e comprometimento, ajudou mais de dezessete milhões de iraquianos que vivem em circunstâncias muito difíceis. Apesar de saber que estava arriscando sua vida ela não desistiu. Margaret Hassan, foi seqüestrada e executada por rebeldes iraquianos em meados do mês de novembro de 2004 e deixa seu legado de Amor e Solidariedade.

Na Terra ainda há o crime, a guerra, a fome, a miséria, a doença, a ignorância, que é a mãe de tudo isto. Mas também já surge um número cada vez maior de pessoas que sofre pelo outro, que chora o choro do companheiro, que se compromete em Espírito em fazer algo além de si mesmo. São apenas seres humanos comuns que já se diferenciaram na qualidade do seu sentimento e promoveram, com isso elos entre as pessoas em bases da fraternidade e da solidariedade, e O Evangelho Segundo o Espiritismo esclarece que são esses os sentimentos estruturais dos mundos regenerados.

Construamos portanto, um mundo melhor a partir de nós. Os sinais de tempos melhores estão por toda a parte, basta olhar, basta querer ver e lutar para que eles deixem de ser sinais e passem a ser realidade dominante em um mundo de fato regenerado, sabendo que não existem obstáculos para quem verdadeiramente quer fazer o bem.

    


Continue no Canal
+ Reflexões