Textos bíblicos atestam a importância de Madalena e as conversas com Jesus

Numa leitura atenta, os textos canônicos – aqueles aceitos e indicados pela Igreja como os únicos verdadeiros relatos da vida de Jesus, também conhecidos como sinóticos – revelam a importância de Madalena para o Cristianismo e, o mais importante, a apontam como apóstola.

A escritora Margaret Starbird publicou sua pesquisa sobre Madalena no livro Maria Madalena, a Noiva no Exílio. Onde mostra que: “Um olhar cuidadoso às escrituras canônicas revela que nenhum dos doze apóstolos homens chamados por Jesus e nomeados nos Evangelhos esteve presente à crucificação no morro chamado Gólgota. O Evangelho de João menciona a presença do “discípulo a quem Jesus amava” [João 19:26: ‘Ora, Jesus, vendo ali sua mãe, e ao lado dela o discípulo a quem ele amava’.], mas esse discípulo indefinido nunca é identificado e nem chamado de apóstolo nas passagens que o mencionam (ou a mencionam!)”.

Conversas de Madalena com Jesus

Numa ocasião, Maria Madalena aproximou-se com humildade junto aos pés de Jesus e contou-lhe que os discípulos estavam perturbados com a dificuldade de compreender seus ensinamentos sobre a Criação. Jesus os acalmou e esclareceu: Não temais que vos seja difícil compreender os mistérios do inefável, porque vos digo que em verdade este mistério está em vós” (Evangelho de Valentino; 37). O espiritismo retomou essa idéia ao mostrar o conceito das idéias inatas, afirmando que estão em nossa consciência todas as leis divinas.

Madalena, em suas conversas com Jesus, fazia perguntas complexas sobre a espiritualidade, e sobre a transformação que a força do Cristianismo causaria no mundo. Antes mesmo que a perseguição ao mestre começasse ela anteviu que os cristãos seriam acossados e mortos simplesmente por serem seus discípulos. Como dar continuidade à missão de Jesus? Como corresponder à sua força sublime? E Jesus lhe disse: “Escuta Maria, não só vós, mas todos os homens podem cumprir o mistério da ressurreição de entre os mortos; para livrar-se da possessão; e de toda aflição e enfermidade; e para curar os coxos e mutilados, mudos e os paralíticos” (Evangelho de Valentino, 44). A cura pelo fluido vital é uma tradição cristã, está ao alcance de todos. E foi retomada em nosso tempo pelo magnetismo Animal, Homeopatia e Espiritismo.

A seguidora preferida de Jesus ficava muito triste e chorava ao conhecer os sofrimentos da humanidade ignorante da renovação pela Verdade, que teimava em persistir em seus defeitos. Em muitos momentos, Madalena explicava aos companheiros o verdadeiro sentido dos ensinamentos do Cristo. Foi o que ocorreu quando Salomé teve dúvidas enquanto Jesus ensinava. Madalena pediu ao Mestre a oportunidade de esclarecê-la. “E acontece que quando o Salvador ouviu as palavras de Maria, felicitou-a” (Evangelho de Valentino, 48). (P.H.F.)

PAULO HENRIQUE DE FIGUEIREDO

 


Continue no Canal
+ Especial Maria Madalena