Entrevista Silvio Schmidt, da 4ª URE

O presidente da 4ª URE, Silvio Schmidt, conversou com o nosso portal sobre o momento atual:

Como está sendo, no movimento espírita, a paralisação dos trabalhos das casas espíritas? Como os frequentadores estão encarando?

Inicialmente, a paralisação das atividades veio acompanhada de uma preocupação quanto à como ficariam as pessoas que estavam em atendimento nas casas espíritas, e ao mesmo tempo um temor quanto a gravidade da pandemia. Mas A FEC e a 4ª URE imediatamente procuraram fornecer informações e subsídios para que os Dirigentes das Casas pudessem tomar decisões junto com a Diretoria buscando alternativas para a continuidade da tarefa mesmo não contrariando as orientações das autoridades.

Os frequentadores das casas compreenderam muito bem as necessidades e também se adaptaram as novas alternativas pois se fundamentam no mesmo princípio de caridade.

– Qual a principal mensagem para os trabalhadores que você vem deixando como presidente da URE?

Mensagem de confiança, pois desde a época da Codificação das Obras Básicas, os Espíritos já alertavam: “são chegados os tempos”, tempos de transição para um Mundo de Regeneração, tempo que põe em prova nossas disposições renovadas. Quanto ao desencarne coletivo sabemos fazer parte de um plano da Misericórdia Divina, mas que nos cabe consolar aos envolvidos para que não esmoreça a fé.

– Muito se tem falado sobre esse momento, de aproveitarmos a situação e aprimorarmos nossas ferramentas digitais para o espiritismo, como está sendo isso no dia a dia?

O Setor de Comunicação e Divulgação da FEC realizou duas capacitações dos trabalhadores deste setor das UREs e Casas Espíritas sobre como implementar alternativas de comunicação a distância, apresentando diversas plataformas e aplicativos possíveis. Assim que esse Setor da 4ª URE tem dado assessoria as Casas Espíritas que, diante dos desafios, aprenderam a usar essas ferramentas nas diversas atividades e vemos a satisfação dos companheiros constatarem a grande procura e alcance, na maioria até de maior público do que antes.

– O espiritismo é um arcabouço enorme de conhecimento, que mostra que ele sobrevive às maiores crises; qual as principais mensagens que a doutrina nos traz desse tempo de pandemia?

Que a mensagem da Doutrina Espírita sempre é atual e consoladora e que podemos fazer mais, que somos capazes de nos reinventar superando desafios, que precisamos divulgar a Doutrina de diversas formas para ampliar o alcance. E que os desafios uniram ainda mais as equipes dos trabalhadores e atendidos nas Casas Espíritas.

 

A pandemia nos resgatou o sentimento de fraternidade e acolhimento pelos que necessitam, demonstrando que fazemos parte de uma única grande família de auxílio mútuo.

Entrevista a Manoel Fernandes Neto


Continue no Canal
+ Entrevistas