Sobre espíritas beatos

Herculano Pires: No Espiritismo não há rebanhos nem pastores!

Um espírita que se sujeita às lições de um mestre pessoal não é espírita, é um beato seguindo Antônio Conselheiro. O despertar da consciência na experiência é o seu caminho único de progresso. Ele não confia em palavras, mas nos fatos. Não busca a ilusão de uma salvação confessional, mas aprofunda-se no conhecimento doutrinário para saber por si mesmo onde pisa e para onde vai…

Os que precisam de mestres não confiam em si mesmos, fazem-se ovelhas de um rebanho. No Espiritismo não há rebanhos nem pastores: há trabalho a fazer, afinidades a estabelecer entre companheiros em pé de igualdade, toda uma batalha a vencer, há os pesados resíduos teológicos, supersticiosos e obscurantistas que esmagam a ingenuidade das massas. O Espiritismo é uma tomada de consciência da responsabilidade do homem na existência, da sua liberdade e da sua transcendência.

Os espíritas que ainda se alimentam de leite — como escreveu Paulo — precisam tratar de crescer e alimentar-se de coisas sólidas, consistentes.

Jose Herculano Pires, obra Curso Dinâmico de Espiritismo, página 27.
Editora Paidéia.

Leia também:

 

O que pensava Herculano Pires sobre André Luiz?

 

Do Metro ao Cento: Uma Biografia para o Centenário (2013)

Herculano Pires e a construção da Civilização

“Um fanático espírita é uma aberração”, diz Herculano Pires

Agonia das religiões

 

O Espírita e o Mundo Atual

O Medo à Liberdade

O espírita e a cultura

Herculano Pires e a construção da Civilização

Algumas reflexões sobre a Educação Espírita

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Acesse:

#Herculano Pires


Continue no Canal
+ Reflexões