A Providência Divina quer o nosso progresso

Por Inny Buch

Providência Divina é a suprema sabedoria com que Deus conduz todas as coisas. Todos nós, espíritas estudiosos que somos, já sabemos refletir sobre Deus. Sua Onipresença, Onisciência, Onipotência; que programou a todos para a felicidade. Com exceção de alguns que, desadvertidos, admitem o absurdo de acreditar que Deus pode se enganar, ou querer que alguns “não dêem certo na vida”.  Mas esses são poucos, felizmente, em que o grau de evolução não permite ver que desde os primórdios, desde o momento da própria criação, é dado ao Espírito todo o recurso para sua iluminação, para o seu desenvolvimento, para o seu progresso. Vamos refletir:

– Na infância nos são dados os pais. O bebê humano, diferentemente de outros espécimes, não é capaz de sobreviver algumas horas que seja, sozinho. Qual a criança que tem consciência desta ajuda? A criança somente aceita, sem compreender, o cuidado que temos com seus primeiros passos, com sua saúde, com sua educação, com seu lazer. Ela só vai entender mesmo, as vezes, quando tiverem seus próprios filhos. Por analogia, nós também, aceitamos a providência divina intuitivamente.

– A criatura é auxiliada pelo mundo espiritual, quando de sua adaptação ao meio terrestre. Para tanto, até os cinco anos ela está em contato direto com a espiritualidade que é a sua real família.

– O corpo praticamente funciona sozinho. Por um automatismo sagrado respira, metaboliza, cresce, se desenvolve. Cada célula ocupa, milimetricamente, seu lugar. O corpo é a nossa oficina de aprendizado. Um templo que nos dá condições de nos espiritualizarmos por meio do trabalho no e para o bem. Um templo  de trabalho que necessita de cuidados de nossa parte mas, principalmente, respeito.

– Quando a criatura erra, existe um mecanismo natural que as incita a retornar à responsabilidade.  As vezes por meio do sofrimento, mas sempre por meio da Lei de causa e efeito. Nem neste momento somos abandonados pela espiritualidade; pelos nossos bons espíritos que nos colocam em contato com amigos, livros, palestras, instituições, situações, ou alguma coisa que possa dar novamente condições de seguirmos adiante.

– A natureza poderia ser mais pródiga do que é? Tira-se dela alimento, saúde, abrigo. São oferecidas a todos nós matérias-primas para o nosso progresso intelectual. Nas vinte e quatro horas, neste Planeta, a criatura é envolvida pela proteção, pelo amparo, pela vigilância divina. Mesmo que não entenda, mesmo que não saiba. Mesmo que não queira, a conexão criador-criatura está feita.

Instrumentos para o bem

Todo este amparo e orientação significam, também, que a criatura é capaz. Porém a Providência Divina não se restringe somente à proteção, ao consolo, ao perdão. Mas dar a cada um, conforme seu grau de entendimento, dispositivos que colaborem com seu crescimento moral, intelectual, afetivo.

Este planeta é uma escola. É também uma oficina. Dependendo da dimensão do seu pensamento (quanto é capaz de compreender), de seu nível de consciência (abertura mental, sem julgamentos) e dos seus próprios espaços mentais (quando não fazem julgamentos), são ofertadas às criaturas situações e meios para o seu aprimoramento. Cada religião, cada filosofia, cada crença, desempenha o seu papel, quando leva para o caminho do bem. Além disso, todo o trabalho intelectual, manual, braçal, desempenha sua função de aprimoramento, desde que o rumo seja o equilíbrio; tenham a função de acordar a criatura para suas potencialidades. Diz o espírito de Verdade na questão 837 do Livro dos Espíritos: “A liberdade de consciência é uma das características da verdadeira civilização e do progresso”

A reencarnação é outro instrumento da Providência. É uma oportunidade incomum, que é facultada ao espírito para sua reabilitação, sua recuperarão perante as leis divinas. O próprio esquecimento das vidas passadas é uma atitude amorosa. Por isso vamos ler mais atentamente o livro da vida. Como um cientista, que ao ver uma gota de água poluída, enxerga, fascinado, vida; onde todos vêem lama. Ou como o artista, que já vê a obra de arte que pode ser esculpida na pedra; ou mesmo a melodia que pode ser criada harmonizando sons desconexos.

Vamos aprender a não nos lastimar. O espírita é convidado a ver, no presente, o futuro. Podemos, sim, hoje, construir um Planeta melhor. Não existe predestinação para o mal, para o sofrimento. O que a criatura chama de padecimento a Providência chama de educação. Vamos procurar oportunidade de servir o semelhante. De auxiliar um irmão. De trabalhar para em prol da criação.

Vamos aproveitar esta encarnação. Estamos aqui e agora. Os instrumentos nos são dados. As oportunidades são criadas. O auxilio estará sempre presente para que a criatura possa, passo a passo, superar tudo o que a retém longe da felicidade.

Sábias as palavras de Emmanuel, na página 196, da obra “Pão Nosso”:

“Os prisioneiros da concepção de justiça implacável ignoram os poderosos auxílios do Todo-Poderoso, que se manifestam através de mil modos diferentes; contudo, os que procuram a própria iluminação pelo amor universal sabem que Deus dá sempre e que é necessário aprender a receber.”


Continue no Canal
+ Inny Buch