Os 160 anos do livro “Origem das Espécies”

O naturalista britânico Charles Darwin (1809-1882)

Deutsche Welle traz reportagem sobre a obra.

O portal Deutsche Welle ( DW ), órgão de imprensa do Estado Alemão, com notícias em mais de 30 idiomas, trouxe uma reportagem sobre o aniversário de lançamento do livro “Origem das Espécies”.

A obra completa 160 anos. Na reportagem, o diretor do Museu de História Natural de NY é categórico ao afirmar: “Nada em biologia faz sentido sem evolução, tudo é regulado pela seleção natural. A beleza do mundo pode ser compreendida por Darwin”, afirma

O livro Da Origem das Espécies por Meio da Seleção Natural ou a Preservação de Raças Favorecidas na Luta pela Vida, do naturalista britânico Charles Darwin (1809-1882), foi lançado em em 24 de novembro de 1859, pela a editora de John Murray, em Londres.

Leia os principais comentários sobre a obra feitos por especialistas consultados pela DW.

Para ler a matéria, acesse.

Hoje em dia, com o avanço do conhecimento temos uma compreensão mais holística sobre os mecanismos que moldam a seleção natural (muitos destes que Darwin não fazia ideia em sua época) e, ainda sim, os pilares da seleção natural proposto neste livro continuam explicando este fenômeno de forma precisa, o que faz esta obra ser tão relevante.

Biólogo Bruno da Costa Rodrigues, coordenador da Unidade de Genômica Funcional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

 

O primeiro é sua teoria da seleção natural, que explica como as características surgem, as adaptações dos organismos. Praticamente qualquer coisa na vida que envolva relacionamentos entre organismos e meio ambiente é resultado majoritariamente de adaptações. Ou seja: nada em biologia faz sentido sem evolução, tudo é regulado pela seleção natural. A beleza do mundo pode ser compreendida por Darwin.

David Kohn, Historiador, Diretor do projeto Darwin Manuscripts do Museu Americano de História Natural, em Nova York.

 

É um divisor de águas. Eles [os cientistas] avançaram a partir do que Darwin descobriu. [O livro] pode ser considerado, junto com os trabalhos de Alfred Wallace [também naturalista britânico, viveu entre 1823 e 1913] o monumento inaugural da biologia evolucionista. Embora outros naturalistas tivessem lidado com o tema desde o século 18, o livro de Darwin foi o primeiro a apresentar uma hipótese coerente e ‘testável’ sobre a diversificação dos seres vivos e suas adaptações. E sem a teoria da evolução nada na biologia faz sentido.

Reinaldo José Lopes, jornalista, autor dos livros Além de Darwin e Darwin Sem Frescura.

 

Dos modelos tradicionais de classificação dos seres, passamos a perceber sequências evolutivas que envolvem todos os seres em um único processo. Tenho herança peixe, herança réptil… Somos resultados de milhares de anos de transformações. Cada detalhe de meu corpo tem uma história natural que ultrapassa meus antecessores familiares conectando-me a uma grande família natural.

José Luiz Goldfarb,físico, filósofo e historiador, Diretor da editora acadêmica Educ e professor de História da Ciência da PUC-SP.

Para ler a matéria da DW, acesse.

 


Continue no Canal
+ Os caminhos da ciência